BLOG DE RNPACARJAS

BLOG DE RNPACARJAS
carajas

RADIO CNAGITOS

sábado, 13 de agosto de 2011

Vale desenvolve solução tecnológica que elimina impacto ambiental gerado por pneus gigantes

Borracha descartada pode ser usada em concreto ecológico, na produção de asfalto e na redução do consumo de combustíveis em cimenteiras
A destinação correta de pneus de equipamentos utilizados na mineração Pneus Industriais (86)sempre foi um dos grandes desafios para equipes de meio ambiente de empresas de recursos naturais, como a Vale. Estes pneus chamam a atenção pelo tamanho e pela rigidez, o que transforma o processo manual de reciclagem muito lento e inviabiliza a aplicação dos processos de reciclagem tradicionais utilizados nos pneus convencionais de automóveis. Para resolver o problema, a Vale adotou um projeto piloto que utiliza uma tesoura hidráulica adaptada a uma escavadeira para cortar os pneus. A solução aumentou a produtividade do processo, possibilitando que, em um ano, a empresa elimine todo o seu passivo ambiental da Mina de Carajás, que hoje é de 3 mil pneus estocados.
Depois de cortados com a tesoura hidráulica, os pedaços dos pneus são triturados e seus componentes, borracha e aço, são separados. A borracha será usada na produção de concreto ecológico, asfalto e na redução do consumo de combustíveis fósseis usados na geração de energia na indústria cimenteira, já que ela substitui em até 25% o Coque Verde do Petróleo, subproduto obtido a partir da destilação do petróleo. O aço será vendido como sucata para reaproveitamento na indústria siderúrgica.
Pneus Industriais (85)Diferentemente dos usados em carros comuns, esses pneus tem aproximadamente quatro metros de diâmetro e pesam até cinco toneladas. Além da borracha existe uma camada de aço resistente que suporta o peso do minério. No processo anterior, feito manualmente, eram cortados em média dois pneus por dia. Com o uso da nova tecnologia, esta média pode chegar a 20 pneus por dia, o que torna mais rápida outra etapa do processo de reciclagem: a trituração do material.
“Com a utilização da tesoura hidráulica, será possível eliminar cerca de 3 mil pneus existentes nas Centrais de Materiais Descartados de Carajás neste ano”, comemora Miranda Braga, gerente de Desenvolvimento do Suprimentos. O equipamento tem capacidade para cortar o pneu em até oito partes de um metro cada. Gasta em média 30 minutos nesta operação e pode gerar uma pressão equivalente a 800 toneladas no processo de esmagamento do resíduo.
A expectativa é que todo o estoque existente em Carajás seja eliminado em um ano. O espaço físico ocupado por estes pneus é muito grande. Em peso, 3 mil pneus correspondem a 15 mil toneladas. “O principal ganho com este projeto é o ambiental. A diminuição do tamanho do corte do pneu facilitou o transporte e a identificação de clientes que compram o material gerado e dão a destinação correta”, explica Benito Nunes, gerente de Infraestrutura Norte do Centro de Serviços Compartilhados.
“A expectativa é que este projeto possa ser aplicado nas outras unidades operacionais para que possamos auxiliar no desenvolvimento sustentável das regiões onde estamos inseridos”, completa Miranda.
Fonte: Assessoria de Imprensa – Vale

Nenhum comentário: